terça-feira, 27 de maio de 2008

Estive em Lisboa - parte 3

E finalmente fotos de prédios próximos do CCB.


Museu Militar.


Planetário. Um clássico.


Jerónimos por detrás de uma árvore.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Estive em Lisboa - parte 2

Fui ao Museu Berardo e fiquei um pouco assustado com a forma como o museu do tal senhor se apropriou do CCB. Não cheguei a tirar fotos que sejam elucidativas do que acabei de dizer(perdão, escrever!) e até pode ser só impressão minha, mas...

A caminho do CCB.


É chato ser segurança.


As paredes do CCB.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Estive em Lisboa...

...de corrida. Fui segunda à noite e voltei quinta(22), por isso nos próximos dias vou colocar algumas fotos que tirei lá. Começo pelo fim, com duas fotos tiradas de dentro do comboio, através do vidro, a uma equipa que filmava não sei o quê em Santa-Apolónia.
Fica o registo.


Ando a ler...


Depois conto-vos como acaba... o livro! ;-)

sábado, 17 de maio de 2008

Bom Dia!


Este programa informativo da RTP - o bom dia - fez com que este vosso amigo se levantasse hoje às 05h30 (mais ou menos) para estar de pequeno-almoço tomado a entrar ao serviço às 07h, com o primeiro bloco informativo a começar às 08h.
Aqui está um jovem colega em contraluz com uma garrafa de água a simbolizar um falo(isto caso não se perceba na foto, o que é muito provável!), comportamento este decerto devido ao cedo da hora!

sábado, 10 de maio de 2008

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Dia do Trabalhador e não só


Saí de casa cedo para ir trabalhar e deparei-me com flores em várias portas, janelas, para-brisas, etc. Não tirei fotografias e infelizmente ao regressar a casa já tinham sido retiradas quase todas, tirando estas que estavam a sair de uma caixa do correio.
Ao almoço perguntei a um colega que me explicou que o 1º de Maio é não só o dia do Trabalhador mas tambem o dia das Maias, flores que são colocadas nas portas, janelas e outros orifícios das casas para impedir que o Diabo entre. As Maias são as flores das giestas.
Fui à procura na internet e encontrei muitas outras explicações demasiado extensas, pelo que vos convido a fazerem o mesmo se se acharem interessados no tema.

Gosto de ver algumas destas tradições de Portugal a sobreviver nas grandes cidades.